10 desculpas que usamos todos os dias para não servir ao próximo

10 desculpas que usamos todos os dias para não servir ao próximo

Servir ao próximo foi um dos grandes ensinamentos de Jesus aos Seus discípulos. Jesus situou o amor ao próximo como o segundo mais importante mandamento de todos: “O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes” (Marcos 12:31). Isso com certeza nos indica que Jesus deseja profundamente que Seus discípulos sirvam ao próximo com uma disposição diferenciada. Mas nem sempre é assim que acontece. Geralmente arrumamos muitas desculpas para tirar o nosso corpo fora do serviço. Por isso, creio ser importante refletir sobre as 10 desculpas que mais damos para não servir o nosso próximo. Ainda há tempo de mudarmos.

Desculpas que damos para não servir ao próximo

Desculpas que damos para não servir ao próximo

(1) Não fui procurado

Essa desculpa clássica está nos lábios daqueles que veem alguém precisando de algo bem debaixo de seus narizes, mas não estendem a mão porque precisam ser comunicados como que “oficialmente”. A pessoa precisa pedir, implorar. Precisa se humilhar. Precisa clamar. Mas a Bíblia diz o contrário: “Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo” (Provérbios 3:27).

(2) Não receberei nada em troca

Em nosso mundo cruel, muitos cristãos têm aceitado em seus corações argumentos malignos como esse. No mundo, muitas pessoas se ajudam esperando algo em troca, é uma troca de favores apenas. Porém, os verdadeiros discípulos de Cristo sempre fazem pelo próximo aquilo que podem, sem esperar nada em troca, pois o “tesouro” vem de Deus e não dos bens que a terra pode proporcionar.

(3) Não sei como ajudar

Algumas pessoas até têm boa vontade, mas esbarram na desculpa de não saberem como ajudar. O princípio da ajuda é que ofereçamos aquilo que podemos e que temos em nossas mãos, ao nosso alcance: “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” (1 Pedro 4:10). Se não sabemos, precisamos passar a saber, o que não é tão difícil assim.

(4) Não tenho tempo

Essa é a clássica desculpa que pouca gente ousa questionar. O nosso tempo é valiosíssimo e, geralmente, não queremos usá-lo com o próximo, a menos que tenhamos alguma vantagem nisso (esse é um pensamento de alguém longe do evangelho). Quando alguém diz que não tem tempo para o próximo está confessando que realmente está com a sua espiritualidade morta, pois só os mortos não têm mais tempo para agir nessa vida. E, claro, a Bíblia diz claramente que a fé sem obras é morta (Tiago 2:26)

(5) Acho que “ele” não merece

Julgar o merecimento de quem precisa de ajuda é outra desculpa cruel. A julgar pelo merecimento, creio que nenhum de nós poderíamos ser ajudados, pois todos temos os nossos erros, uns mais, outros menos. Com relação a isso a Palavra de Deus é clara: “Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber…” (Romanos 12:20).

(6) Não tenho condições

Outra desculpa clássica para encobrir o real motivo de corações duros. É evidente que alguns tipos de ajudas não teremos condições de prestar. Mas alguns fazem dessa desculpa uma resposta padrão que dão a todos que clamam por ajuda. O fato é que todos temos algo a oferecer. E mais: Às vezes o pouco feito de coração é muito diante de Deus: “Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos” (Lucas 21:2-3). Outro ponto importante é que devemos focar no que temos, não no que não temos para oferecer: “Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” (Atos 3:6).

(7) Vai dar muito trabalho

A lei do menor esforço geralmente entra em ação quando o assunto é ajudar ao próximo. Não visualizamos o bem do próximo, mas o cansaço que a ajuda poderá nos trazer. Isso equivale a não ir fazer uma viajem dos sonhos porque será cansativa em alguns momentos. Perdemos a bênção de fazer a vontade de Deus e abençoar o próximo por preguiça. Uma pena.

(8) Deus vai ajudá-lo

Mais uma daquelas desculpas clássicas que colocam nos ombros de Deus aquilo que deveria ser feito por nós. É como aqueles que culpam a Deus por todo o mal do mundo e não aos seres humanos que não seguem a vontade de Deus e praticam o mal. Deus ajuda sim, mas os instrumentos de ajuda somos nós: “Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?” (Tiago 2:15).

(9) Cada um com seus problemas

Essa é uma frase que tem sido muito falada atualmente. Interessante é que quando nós é que precisamos de alguma ajuda, geralmente não achamos que é “cada um com seus problemas”, antes, queremos que alguém nos estenda a mão. Uma hipocrisia grandiosa. Alguns problemas são sim particulares, porém, a maioria deles oferecem sim espaço para que ajudemos de alguma forma aquele que sofre.

(10) “Ele” encontrará outra pessoa para ajudá-lo

Essa última desculpa equivale ao “lavar as mãos” que Pilatos fez diante de Jesus e do povo. É se eximir, tirar o corpo fora baseado na expectativa (talvez falsa) de que a pessoa achará outro alguém para lhe estender a mão. Nem sempre isso acontece. Às vezes é a nossa mão que Deus quer usar e não a de outra pessoa. Na parábola dos talentos, o Senhor cobra de cada um que recebeu talentos que prestem contas do uso ou não uso dos talentos. Usar o nosso ou nossos talentos é uma responsabilidade que cabe a nós, não ao outro.

“Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros.” (Jesus Cristo em João 13:14)

Por André Sanchez
Fonte: Esboçando Ideias




Envie seu comentário